7 de fevereiro de 2012

Carta de Despedida

Pega papel e tinta
e anota o que vou dizer
pois há de haver um tempo
em que nada se haverá de temer
portanto presta atenção
pois repetir não vou
alcança pena e borrão
e tatua a palavra que dou
começa logo, sem introdução
para economizar tempo perdido
não questiona sequer posição
das frases, palavras que dito
inicia fazendo questão
da atenção do teu ouvinte
já que a ele interessarão
as palavras que virão em seguinte
se desculpa de antemão
pois à priori são palavras amargas
adoça com singela aproximação
a reação da carne fustigada
se fizer tudo correto
cumprindo este ritual
terás total êxito, uma só estocada
lâmina dentro até o final
haverá alívio quando a faca fugir
e nenhum susto se outro corte se abrir
pois para ferir mortalmente
o movimento assassino é de entrar e sair
escuta então o punhal que te dito
e escreve esta carta
pois sendo destino ou karma
tenta todo o possível
evita usar essa arma
mas tenha-a sempre à mão
guarda em local acessível
longe do coração
evita a tola decisão (e até tentação)
de tentar resolver o conflito
apresentando-a como última solução
mas tenha a sábia certeza
que não tendo mesmo solução
não há situação que se arraste
nem corpo que não se afaste
após tamanha desilusão
guarda e usa em hora certa
confiante ao chegar o dia
e finalmente de alma liberta
terás tua sentença de alforria
deixando para todos inédita
sua carta de despedida

Um comentário:

Bruno Moreira Lima disse...

Era um comandos em ação? E o sangue dele era de catchup??? Huahuhauhauhau Por essa você não esperava. Confessa aí...