13 de março de 2012

Transformação

Eu não sei se é lua cheia
ou terremoto no Japão
cometa que se aproxima
ou atividade de vulcão

só tenho essa certeza
que há algo na natureza
em plena transformação

vejo nos transeuntes
em meus sonhos conscientes
como o cheiro de terra molhada
antes da tempestade iminente
dói o calo no pé
e estalo os dedos de ansiedade
coça a cicatriz antiga
avisando o fim de alguma validade

não li no sol
ou nas estrelas que formam desenhos
nem nas mãos dos pedestres
nem nas sementes de jalapeño
não precisei abrir camundongos
nem encarcerei macacos
para ver as partes desse todo
ajuntando seus pedaços
sinto um cheiro estranho
e movimentos no soslaio
como o gato pressente o trovão
antes de cair o raio
não sei se são borbulhas
da minha imaginação
ou um gêiser febril
aguardando a explosão

só tenho essa certeza
que há algo na natureza
em plena transformação

não sei se será dilúvio
ou chuva de verão
uma brisa refrescante
ou violento furacão
não sei se será passeata
ou sanguinária revolução
execuções em praça pública
ou organizada eleição

só tenho essa certeza
que há algo na natureza
em plena transformação

não sei se é em mim ou no mundo
nas cabeças dos homens
ou no meu coração
por isso procuro tua mão atento
pois ninguém daqui será isento
dessa transformação

3 comentários:

Bruno Moreira Lima disse...

É no dia do meu aniversário, parceiro... Huhauahuhauha O melhor é ir de porre! Então, se eu fizer uma churrascada dançante, não falte! Pode ser a última... Huahuahuahuha

Anônimo disse...

Mostra pro Emicida.

Fabio Minervini disse...

Anônimo, se apresente! Aproveita e me dá o contato do Emicida. :-)